A mãe.



Olá a todos ! Hoje dentro da relações de poder, trago mais uma figura mítica da maioria das organizações : a mãe. Leiam o texto e descubram se vocês também não convivem no dia-a-dia  corporativo com uma mãe dentro da empresa .

Em primeiro lugar é preciso que fique bem claro que "a mãe" não é necessariamente uma colega de trabalho , sim ela pode muito bem ser homem , embora o sexo feminino exerça este papel na grande maioria dos casos. Para ser considerado uma "mãe" o indivíduo deve possuir algumas características peculiares:

  • Ser mãe é padecer no escritório : os indivíduos que cumprem o papel de mãe nas organizações, adoram passar por pobres coitados, humildes que não possuem interesses próprios , apenas pensam no bem estar de todo mundo. A "mãe" é uma grande manipuladora, por vezes ela pode ser um atrapalho no desenvolvimento de uma empresa.
  • Seus problemas são meus problemas: a "mãe" acolhe a todos e a seus problemas , que estes sejam profissionais ou pessoais. Qualquer um em tempos de aflição , ou alegria, pode aconchegar-se sob as asas da "mãe". Na verdade este acolhimento não passa de uma estratégia para saciar a sede da pessoa em bisbilhotar a vida alheia e usar estas informações como ela bem achar apropriado.
  • Ninguém toca nos meus filhos: ela esta aparentemente a favor dos seus "filhos", nem que para isso ela tenha que colocar-se contra a chefia da empresa. E se você tem problemas conjugais, a "mãe" assume o papel de sogra para te dar uma "forcinha". Infelizmente, 90% das vezes, a defesa da "mãe" é um teatro, ela na verdade faz de tudo para ser admirada e idolatrada por seus supostos filhos, e ai daquele que desafiar a "afetuosidade" dela!
  • Meus filhos dependem de mim: o amor da "mãe" tem um preço que todo bom filho deve pagar  que é justamente fazer parte das manipulações dela . Ela usa o que sabe das pessoas , e cobra o a acolhida aos seus filhos com severa obediência e troca de favores, tudo para que ela mantenha sua soberania e alcance seus objetivos dentro da organização. 

Junte a estas características o gosto nato por fofocas e intrigas e pronto: você trabalha com uma mãe! Também tenho que dizer que um chefe pode também ser "mãe", e é aí que mora o perigo, e ela é tão tirana quanto o chefe.

A melhor forma de escapar da mãe é separar problemas pessoais dos profissionais , e estes devem ser resolvidos de forma assertiva ( procure no google) . Assim você não cria laços com ela e nem enrola os pés nestes. Não estou aqui dizendo que nas empresas não existam pessoas que realmente demonstrem empatia e compaixão com seus colegas de trabalho, a "mãe" deste post é uma figura específica.


imagem : http://info.abril.com.br/aberto/infonews/fotos/gasolandia.jpg

0 comentários:

Postar um comentário

Faça um alterado feliz, expresse sua opinião... porém:
1º os comentário são moderados (vá que um dia a minha mãe visite o blog e não goste dos elogios dirigidos a ela);

2º não use de miguxês e nem de palavras de baixo calão (até eu tenho limites);
3º faça comentários relacionados ao assunto do post (terra chamando, terra chamando, se situe !);

4º se quiseres trocar experiências pessoais a respeito do tema em questão , sinta-se a vontade ,só não me traga problemas.

 

Seguidores

Conexões

Passaram por aqui

Custom UsuárioCompulsivo
Widget BlogBlogs

ALTERADOS E SEQUELADOS Copyright © 2009 FreshBrown is Designed by Simran | Featured Post By Free Blogger Template