Uma década de blogs no Brasil: e agora?


Há dez anos o santista Renato Pedroso Junior tinha acabado de se mudar para São Paulo. Para contar aos amigos e familiares como seria a sua rotina na Paulicéia, ele decidiu criar um site, um diário online. E assim, em 31 de março de 1998, escreveu no seu teclado, cheio de graça:
“Start spreading the news, I’m leaving today, I’m want to be a part of it - New York, New Yo... Corta! Música errada, cidade errada, país errado. Tentemos novamente... Alguma coisa acontece no meu coração, que só quando cruzo a Ipiranga e a avenida São João… Agora sim!”
Sem saber, Renato criou o primeiro blog escrito em português: o Diário da Megalópole. E não era só de cidade que tinha mudado: de nome também. No mundo virtual, ele agora seria o Nemo Nox.Desde essas primeiras palavras muita coisa mudou nessa ferramenta. Em seu começo o blog era apenas um diarinho virtual. Depois, o futuro da literatura, e mais tarde uma solução para o jornalismo. Hoje, uma (possível) forma de ganhar dinheiro sem sair de casa. Além de importância, os blogs também ganharam audiência. Ele é uma ferramenta fácil de se usar – e está cada vez mais simples! Mesmo quem entenda patavina de computador consegue manter um blog. Hoje há vários serviços que fornecem layouts prontos e permitem a imediata inserção de imagens e vídeos nos textos publicados, os chamados posts.“Quando eu comecei não existiam sistemas automatizados, como o Blogger ou o Live Jornal. Cada post exigia codificação manual de HTML”, lembra Renato, o Nemo. “Foi a automatização do processo que permitiu a popularização do formato até o fenômeno em que se transformou. Mas ainda tem muito espaço para ser conquistado pelos blogueiros, principalmente em termos de credibilidade”, analisa.Essa é a grande questão que ocorre na blogosfera brasileira. É claro que os blogs evoluíram. Eles se tornaram um veículo de comunicação respeitado, usado por jornais e empresas – e muitos blogueiros são hoje grandes formadores de opinião.Só fica a dúvida sobre o futuro do formato. Para muitos blogueiros da velha guarda, ele cada vez mais deixa de ser um gerador de conteúdo para se tornar um filtro. Também há a discussão se vale a pena abrir espaço para publicidade, afinal, os blogs são considerados uma mídia independente.

artigo original de GUSTAVO MILLER

2 comentários:

Catarino on 22 outubro, 2008 disse...

Muito boa esta história do pionerismo em blog. Devia ser muito dífícil, hoje não precisamos saber muito para ter um blog.

Nacir on 24 outubro, 2008 disse...

Não precisamos saber nada. No máximo (e não necessariamente) o clássico e dominante copiar, colar e enviar.
www.adequacao.com.br/blog

Postar um comentário

Faça um alterado feliz, expresse sua opinião... porém:
1º os comentário são moderados (vá que um dia a minha mãe visite o blog e não goste dos elogios dirigidos a ela);

2º não use de miguxês e nem de palavras de baixo calão (até eu tenho limites);
3º faça comentários relacionados ao assunto do post (terra chamando, terra chamando, se situe !);

4º se quiseres trocar experiências pessoais a respeito do tema em questão , sinta-se a vontade ,só não me traga problemas.

 

Seguidores

Conexões

Passaram por aqui

Custom UsuárioCompulsivo
Widget BlogBlogs

ALTERADOS E SEQUELADOS Copyright © 2009 FreshBrown is Designed by Simran | Featured Post By Free Blogger Template