Fotografia Kirlian : a fotografia da aura !




Intoxicações, inflamações, infecções, estados degenerativos, dores em geral, tumores, alergias, estafa, cansaço, depressão, angústia, conflitos emocionais, estados alterados de consciência, paranormalidade, sentimentos e complexos de culpa, sentimento de suicídio, fobia, medo, ansiedade, entre outros, podem ser revelados com grande precisão e exatidão por uma simples foto Kirlian.Uma Foto Kirlian é a fotografia da ionização dos gases e vapores emanados pelo corpo, através dos poros da pele . As cores e as estruturas fractais que aparecem nas fotos nos permitem diagnosticar problemas de saúde orgânica ou psíquica.Também possibilita facilmente identificar agentes paranormais (paranormais fracos, médios e fortes). Portanto, as fotos Kirlian (ou bioeletrogramas) podem ser largamente utilizadas pela parapsicologia.Todos os problemas de saúde antes de se manifestar em nosso corpo, pode ser facilmente identificado em uma foto Kirlian. Podemos assim diagnosticar qualquer problema de saúde antes da sua manifestação em nosso organismo.Há cerca de 50 detalhes nas fotos Kirlian que permitem fazer diagnóstico de estados emocionais e problemas de saúde. O índice de acertos das fotos Kirlian está em torno de 98-99%. E na parte de saúde orgânica ( Medicina ), o índice de acertos está além dos 99% (com exceção dos problemas genéticos, cuja pesquisa ainda não foi anunciada). É bom lembrar que nenhum exame médico ou psicológico consegue atingir 100% de acertos.Há 03 padrões de Máquina Kirlian (ou Bioeletrôgrafo) reconhecidos pela IUMAB - International Union of Medical and Applied Bioeletrography (União Internacional de Medicina e Bioeletrografia Aplicada):» O Padrão Newton Milhomens ( Brasil ).» O Padrão Konstantin Korotkov ( Rússia ).» O Padrão Peter Mandel ( Alemanha ).Assim, fotos obtidas por Peter Mandel só podem ser interpretadas por pessoas que o tenham estudado, o mesmo valendo para os outros dois.No Brasil, atualmente, além da Psicologia e Medicina, a Bioeletrografia (denominação oficial da Kirliangrafia) está sendo muito empregada na Botânica, na Veterinária, na Agronomia e até na Mineralogia.



Uma teoria recente foi apresentada pelo dr. Konstantin Korotkov, ph.D em Física da Universidade de São Petersburgo, Rússia.Dr. Konstantin examinou vários corpos - inclusive de seres humanos, vivos e mortos - com um espectrofotômetro de massa e um contador de fótons.Chegou-se a seguinte conclusão: ao redor dos corpos humanos, de animais, de plantas e outros objetos existe uma espécie de nuvem de gases, de vapores ( além de uma fraquíssima emissão de radiação que vai do infravermelho, passando pela luz visível e chegando ao ultravioleta ).Assim, essa nuvem de gases e vapores, em contato com o campo elétrico da placa de qualquer Máquina Kirlian, provocaria a ionização dessa nuvem e criaria o halo luminoso.Portanto, o que a Máquina Kirlian fotografa é apenas e nada mais do que gases e vapores emitidos pelos poros de nossa pele.Mas, essa nova hipótese não explica alguns casos, o que indica que não tem abrangência total.O fato é que parece que nos corpos materiais ocorre a emissão de um outro campo energético, de um tipo de força ainda desconhecida, mas muito semelhante à eletromagnética.Ela parece possuir características eletromagnéticas, mas não obedece rigorosamente as leis do eletromagnetismo.
Nikola Tesla descobriu um efeito muito interessante, que batizou de Efeito Corona. Trata-se de um halo luminoso que tem sempre a coloração azul-claro esverdeada, que surge em redor dos corpos submetidos a alta voltagem.O Efeito Corona é produto da ionização do ar que rodeia esses corpos. Algumas pessoas sugerem que o que ocorre na foto Kirlian seria nada mais do que o Efeito Corona. Mas, há centenas de fotos Kirlian apresentando colorações além da azul-claro esverdeada produzida pelo Efeito Corona, o que elimina essa possibilidade.A hipótese de se tratar de ionização do ar foi descartada por cair na mesma categoria da anterior, produzindo sempre a coloração azulada.A teoria de que o resultado das fotos se devia à umidade do corpo também chegou a ser apresentada, mas ela não explica os casos de fotos de objetos higroscópicos ( que não absorvem umidade ), como no caso de uma foto Kirlian de uma moeda.A teoria da variação de temperatura foi descartada conforme a experiência da Dra. Thelma Moss citada em seu livro "The Kirlian Aura".A sua equipe ferveu uma moeda a cem graus durante cinco minutos. Em seguida, tiraram uma série de fotos Kirlian. Após, congelaram a moeda a menos sete graus e então fizeram outra série de fotos.Verificaram que os halos energéticos da moeda, tanto quente quanto congelada, não apresentavam nenhuma diferença relevante.A teoria da variação de pressão também foi descartada pois não apresentavam nenhuma diferença relevante em cerca de 1.500 sequências de fotos, conforme relatado no livro da Dra. Thelma Moss


A história
Quando alguém aborda a história da Bioeletrografia ( Kirliangrafia ), em primeiro lugar, cita o nome de Semyon Kirlian, como tendo sido o primeiro homem a haver construído uma Máquina Kirlian, em 1939.Mas, inúmeros documentos provam que o Brasil saiu na frente no desenvolvimento da Máquina Kirlian graças às pesquisas do gaucho padre Landell de Moura - patrono das telecomunicações - em 1904 (veja a foto ao lado).Na época ele construiu o que chamou de Máquina de Bioeletrografia, denominação que, em homenagem ao seu trabalho, tornou-se oficial após o V Congresso Mundial de Kirliangrafia, realizado em novembro de 2000, em Curitiba.Infelizmente, o padre teve problemas com a Igreja Católica, que o proibiu de patentear e divulgar ao mundo a invenção da máquina que, segundo ele, poderia revelar a existência de algo a que deu o nome de "Perianto", perigosamente próximo de "Perispírito", utilizado pelos espíritas.A máquina foi confiscada pela Igreja e hoje acha-se em local desconhecido - provavelmente não existe mais.O Padre Roberto Landell de Moura nasceu na cidade de Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul, em 21 de janeiro de 1861.Foi ordenado padre em Roma em 1886, onde também cursou Física e Química. O Padre Landell faleceu em Porto Alegre em 30 de junho de 1928.

Fotografando a aura
Ao halo luminoso capturado pela Máquina Kirlian tem algumas propriedades muito parecidas com a Aura ( do grego avra = Brisa ) apregoada pelos místicos. Isto significa que não são fotos da aura. Lembrando que são apenas fotografias dos gases e vapores ionizados.A Aura recebe energia dos Chakras ( do sânscrito, significa círculo ) que a nutrem. Os Chakras são centros energéticos localizados no corpo humano, que estão em movimento circulatório contínuo e vibrante formando uma espiral de energia. Por isso, tudo que desobstrui os Chakras tem influência direta na Aura. Todos os místicos são unânimes em afirmar que as Auras variam de cor, de tamanho, de formato e de aspecto, de acordo com as variações emocionais e até conforme o estado de saúde das pessoas.Para eles, as doenças manifestam-se primeiro na Aura para depois se manifestarem no organismo ou Corpo Físico. Afirmam ainda que não apenas as doenças mas também as emoções e até mesmo as predisposições emocionais surgem primeiro na Aura. Os místicos anunciam que a Aura é um campo de energia que circunda o corpo protegendo-o como um envoltório de luz.Este envoltório pode ir de poucos centímetros até 3 ou 4 metros. Pessoas iluminadas possuem auras extensas, ultrapassando 5 metros em todas as direções. Quando estamos alegres, a aura se expande e temos aquela sensação de amplidão, de espaço, de conforto, de que tudo nos é possível. E quando estamos tristes, a aura se retrai, e nos sentimos frágeis, sufocados.Dizem ainda que a aura pode sofrer rupturas e lesões ou ser penetrada por energias negativas, que também ocasionam doenças e desequilíbrios. Pode apresentar fissuras, sulcos ou círculos, indicando vários tipos de doenças já estabelecidas em nosso organismo ou em desenvolvimento.Afirmam ainda que a Aura é o reflexo da alma. A Aura mostra o real estado da pessoa através da cor, da intensidade, da extensão e da textura. Pode ser limpa e fortalecida, mas refletirá sempre a essência do ser, aquilo que somos, e o que não conhecemos de nós mesmos.Em alguns casos, onde há ruptura da aura, é necessário um tratamento mais intensivo, e cuidados especiais até que a parte rompida seja restaurada e fortalecida. Para tanto, pode-se empregar meios como meditação, reiki, cromoterapia, passe espírita, radiestesia e uma gama de outras técnicas.
autor desconhecido



O que dizem os céticos
O pomposamente chamado efeito Kirlian é, com certeza, real, mas não se pode dizer o mesmo das desenfreadas especulações que tomaram conta das mentes carentes do conhecimento científico necessário para compreender o fenômeno. Por um lado, os buscadores do fantástico e do oculto viram nas fotografias Kirlian a demonstração patente da existência do corpo astral, o bioplasma ou a energia vital supostamente superposta ao corpo físico. Por outro lado, vislumbraram a possibilidade de demonstrar modificações do "bioplasma" em diferentes estados fisiológicos e psicológicos, e também visualizar a energia que seria transferida entre os curandeiros e seus pacientes.

O fenômeno de Kirlian não é uma descoberta original. Trata-se de um caso particular de descarga elétrica em gases, cujo estudo estava avançado já em fins do século XIX. À temperatura ambiente, existe em um gás qualquer – inclusive no ar – um número ínfimo de íons ou partículas com carga elétrica (positiva ou negativa). A grande maioria das moléculas que constituem um gás têm exatamente igual número de cargas positivas e negativas, de modo que elas se equilibram; por isso, as moléculas não têm carga total. Quando este gás se expõe a um campo elétrico, os íons positivos e negativos se afastam e são atraídos pelo sinal oposto (em um dos lados do campo elétrico). [Lembre-se que cargas de sinais opostos se atraem e cargas de sinais iguais se repelem]. Estes íons acelerados se chocam com moléculas neutras, tornando-as ionizadas ou excitadas. Se a energia transferida pelo íon à molécula é suficiente, a molécula perde um elétron (que é negativo) e fica positiva. Os novos íons se aceleram pela presença do campo elétrico e começam o processo de novo em uma reação em cadeia.
Assim, a descarga elétrica em gases pode ser observada facilmente no laboratório com um tubo que contenha gás e uma fonte elétrica de frequência variável e alta voltagem. Os terminais da fonte se conectam a dois condutores chamados eletrodos, entre os quais se produz a descarga. O resultado é muito chamativo e até mesmo bonito de se ver. É isso que acontece com o efeito Kirlian: se a iluminação é tênue, a auréola luminosa que impressiona a placa é perceptível a olho nu, como um resplendor azulado (no ar).
Em outras palavras, o rebatizado efeito Kirlian era um fenômeno físico bem conhecido no século passado.
Hoje se sabe que a foto Kirlian nada mais é do que a foto do Efeito Corona.Normalmente a foto Kirilian é feita contra um fundo escuro o que faz a luz da descarga eletrica seja realçada e adote uma aparência fantasmagórica.
Contudo ao observamos uma foto Kirlian contra um fundo trasparente percebe-se claramente que se trata apenas do "halo" de gás ionizado ao redor do dedo da pessoas similar aquele que se forma sob as nossas mãos quando colocamos nossa mãos sobre um daqueles Globos de Plasma.

disponível em : www.pesquisapsi.com/linhacetica/article/28/a-fotografia-kirlian

0 comentários:

Postar um comentário

Faça um alterado feliz, expresse sua opinião... porém:
1º os comentário são moderados (vá que um dia a minha mãe visite o blog e não goste dos elogios dirigidos a ela);

2º não use de miguxês e nem de palavras de baixo calão (até eu tenho limites);
3º faça comentários relacionados ao assunto do post (terra chamando, terra chamando, se situe !);

4º se quiseres trocar experiências pessoais a respeito do tema em questão , sinta-se a vontade ,só não me traga problemas.

 

Seguidores

Conexões

Passaram por aqui

Custom UsuárioCompulsivo
Widget BlogBlogs

ALTERADOS E SEQUELADOS Copyright © 2009 FreshBrown is Designed by Simran | Featured Post By Free Blogger Template